<

terça-feira, dezembro 07, 2004

Clique na imagem para ver com mais detalhe


Imagens do Castro da Covilhã Velha

3 Comments:

Anonymous Anónimo said...

A Covilhã Velha é um sitío de difícil acesso, só as pessoas que conhecem é que conseguem lá chegar. E quando se chega lá é uma grande desilusão, porque a publicidade sobre os castros para o público não chega para preservar e conservar o nosso património histórico. Muito pelo contrário, a prioridade aqui é documentar e conservar e só mais tarde publicitar.
A Covilhã Velha e os outros castros do concelho do Fundão necessitam de ser reconhecidos como património mundial.
Para que serve saber que temos castros se não os conseguimos visitar! se não existem condições para isso? A publicidade é inutil!
Definem outras prioridades para os nossos castros!
Claudia Diogo

10:56 da tarde  
Blogger Aécio said...

Resposta a Carla Diogo:
Agradecemos a crítica e os reparos que nos são feitos, mas em breve vamos iniciar uma campanha sistemática de prospecção arqueológica, para conhecimento e valorização dos arqueossítios.
É estimulante saber a sua opinião, mas como deverá compreender a Rota dos Castros não é um produto acabado, e como projecto inédito tem as suas mazelas e falhas.
Achamos contudo, importante que as pessoas saibam quais são, onde estão e em que âmbito se inserem os castros, porque ao dar a conhecer estamos a avançar para a preservação e protecção destes sítios, pelo exposto a publicidade não é de modo algum inútil.
O acesso a todos os castros em geral, como está publicado no roteiro, e textos deste blog deve ser feito em veículos todo-terreno. Em particular, o acesso ao castro da Covilhã Velha pode ser feito facilmente com um veículo ligeiro (recordo que existem algumas quintas habitadas a menos de 250 metros do castro).
A desilusão que algumas pessoas podem eventualmente experimentar ao visitar os castros, deve-se principalmente à expectativa de encontrar alguma monumentalidade e quem sabe, algumas das imagens que povoam o nosso imaginário colectivo dos corajosos lusitanos.
Recordamos que a empresa de animação Serra-aventura realiza percursos de visita-guiada aos castros.

12:38 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Queria desde já agradecer a atenção por ter respondido, normalmente a autarquia demora imenso tempo a responder. O meu nome é Cláudia Diogo e não Carla.
Compreendo que a rota dos castros ainda é só um projecto. Mas na minha opinião continuo a salientar que não é seguro publicitar os castros, pelas razões de que os sítios não têm qualquer tipo de segurança, infelizmente como muitos monumentos portugueses, o que é realmente de lamentar e a publicidade mostra-se nefasta também, porque expõe os castros demasiado ao vandalismo. Falando da Covilhã Velha, um sitio isolado, onde os 2 casais de idosos que vivem a menos de 250 metros do castro, nem sequer têm luz eléctrica, não conseguem fazer vigilância ao sítio.
E sem qualquer protecção o sítio tem sido continuamente ao longo dos tempos alvo de saque de pedras para uso particular de habitação, para além da incessante procura de "haveres". O que contrapõe a sua visão de que a divulgação faz com que a preservação e protecção avancem.
Quando mencionei desilusão referia-me às condições de segurança inapropriadas à visita de pessoas, não ao sítio, pois esse é lindíssimo.
E deixe-me informar o senhor, em relação aos lusitanos, que ninguém sabe ao certo as fronteiras da Lusitânia ou se esta existia como entidade distinta, portanto não é legitimo afirmar que houve uma ocupação lusitana na região geográfica a que hoje chamamos Portugal.

Claudia Diogo

8:08 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home